A lenda do 1ºMaio

Ernesto Veiga de Oliveira descreve com rigor os costumes do povo português que tem algumas nuances regionais. Segundo ele, o 1º de Maio é o Dia das Maias e comemora-se em Portugal, de um modo geral, pela oposição das «Maias», ou seja, de giestas ou flores, sob diversas formas, em portas e janelas e noutros […]

A lenda do 1ºMaio

flores

Ernesto Veiga de Oliveira descreve com rigor os costumes do povo português que tem algumas nuances regionais.

Segundo ele, o 1º de Maio é o Dia das Maias e comemora-se em Portugal, de um modo geral, pela oposição das «Maias», ou seja, de giestas ou flores, sob diversas formas, em portas e janelas e noutros locais. Ao contrário de outras regiões, em Trás-os-Montes surge ao lado de outras práticas, que são independentes mas de significações convergentes.

Na faixa ocidental atlântica do País, não existe qualquer prática alimentar associada. Mas em Trás-os-Montes e nas Beiras as «Maias» estão associadas às castanhas, que muita gente guarda de propósito para esta data. Segundo Jorge Lage, no 1º de Maio devem-se comer castanhas. Caso contrário, ao passar-se por um burro, este atira-se à pessoa e morde-a Diz o ditado «quem não come castanhas no 1º de Maio, monta-o o burro». Isto porque Maio é o mês dos burros, como afirma o povo. O uso de comer castanhas secas em Maio, terá a ver com a tradição muito antiga de no 1º dia o chefe de família ir à fonte e esconjurar ou afastar com favas pretas os espíritos (o «Maio») da sua família. Daí a expressão «Vai à feira e traz-me as maias (as castanhas piladas)».

feiracantarinhas

Feira das Cantarinhas

A ACISB – Associação Comercial, Industrial e Serviços de Bragança e a CMB – Câmara Municipal de Bragança, irão levar a cabo mais uma Feira das Cantarinhas e Feira de Artesanato. Assim e à semelhança dos anos anteriores, também este ano, haverá um variadíssimo leque de atividades e muita música para animar estes dias.

Trata-se da XXVII Feira de Artesanato a decorrer de 30 de Abril a 5 de Maio, na Praça da Sé, Rua Alexandre Herculano e Rua da República. A Feira das Cantarinhas irá decorrer na zona envolvente ao Mercado Municipal e também na Rua Bragança Paulista, na Rua D. Sancho I e no parque de estacionamento das piscinas municipais, nos dias 1, 2 e 3 de Maio.

Incluído no programa das feiras, decorre no dia 27 de Abril, pelas 9h00, a 8ª Exposição Canina Monográfica do Cão de Gado Transmontano, a ter lugar, no Terrado do Mercado Municipal de Bragança.

A organização das feiras está a cargo da ACISB e da Câmara Municipal de Bragança.

Fonte: Câmara Municipal Bragança

Expressões transmontanas

Relembre algumas das Expressões, palavras e relíquias transmontanas.

“Carólo de…: um pedaço de pão.
Escaxei-me a rir: – rir com intensidade.
Borracheira: bebedeira.
Cibo – bocado de algo ex “um cibo de folar”.
Encher o odre – comer muito.
Bota ca! – pedir algo ex “bota cá um copo de binho!” Binho com b claro.
Andar na rinchadeira: – Andar pela rua até tarde na brincadeira.
Correr o cão – ir passear.
Arrebanhar: – Raspar o resto de alguma coisa exemplo “acabar com o resto do iogurte no copo”.
Ser guicha/o: – ser esperto/a
Baldão: – pessoa preguiçosa e desleixada.
Canhão aério: – pessoa desleixada, que prima pouco pela higiene.
Refustedo: – confusão “ ai que vai praqui um refustedo…..
Recachiço:- cheiro pestilento, fedorento mesmo ex: “aquela manda ca um recachiço credo!”
Recoque: – tem o mesmo significado que recachiço, é apenas mais uma palavrinha para afirmar que alguém fede que nem uma doninha!
Ronco – aqui significa dar um ralhete, um sermão.
Carranhas: – os macacos do nariz.
Larpar: – comer: ex: vou larpar uma pratada de alheira e grelos
Fazer uma regada: – fazer chichi em qualquer lado.
Escambalhar: – estragar, partir algo.”

Fonte: Ser Transmontano

Voltar ao Topo