Procura onde comer em Bragança?

Vai de visita a Bragança, e anda à procura de um bom restaurante para almoçar ou jantar? Deixe-se surpreender pelo Restaurante Típico D. Roberto. Localizado a apenas 5 km de Bragança, na aldeia de Gimonde, este restaurante típico, irá certamente surpreendê-lo pela riqueza e qualidade da gastronomia transmontana. A ementa é um verdadeiro desfilar de […]

prato d.roberto

Procura onde comer em Bragança?

Vai de visita a Bragança, e anda à procura de um bom restaurante para almoçar ou jantar?
Deixe-se surpreender pelo Restaurante Típico D. Roberto.
Localizado a apenas 5 km de Bragança, na aldeia de Gimonde, este restaurante típico, irá certamente surpreendê-lo pela riqueza e qualidade da gastronomia transmontana.
A ementa é um verdadeiro desfilar de pratos típicos transmontanos.

Dia do Parque Natural de Montesinho /30Agosto

 

“A riqueza natural e paisagística do maciço montanhoso Montesinho – Coroa e os valiosos elementos culturais das comunidades humanas que ali se estabeleceram justificam que urgentemente se iniciem ações com vista à salvaguarda do património e à animação sócio – cultural das populações”.
Constitui este parágrafo o início do preâmbulo do Decreto-Lei nº 355/79, de 30 de agosto, que classificou a parte norte dos concelhos de Bragança e Vinhais como Parque Natural. Este estatuto justificava-se, assim, face aos valores naturais, paisagísticos e humanos da região, à recetividade das autarquias locais para a salvaguarda do património dos seus concelhos e freguesias e às potencialidades de recreio e desporto ao ar livre que a região possui.
Na área do PNM existem populações e comunidades animais representativas da fauna ibérica e europeia ainda em relativa abundância e estabilidade, incluindo muitas das espécies ameaçadas da fauna portuguesa, bem como uma vegetação natural de grande importância a nível nacional e mesmo mundial que, associadas à reduzida pressão humana verificada em quase todo o seu território, permite que grande parte dos processos ecológicos evoluam em padrões muito próximos dos naturais. Todos estes valores, exemplares em termos de conservação da Natureza, justificam a aplicação de medidas de proteção adequadas a uma zona que constitui património nacional e europeu.

perdiz cinzenta

Perdiz cinzenta

Perdiz dada como extinta foi vista em Trás-os-Montes

O site Boas Notícias refere, hoje que:
“Ao fim de longas décadas, a perdiz-cinzenta, espécie julgada extinta, voltou a ser avistada em território português. Luís Henrique Pereira, jornalista da RTP, anunciou, esta sexta-feira, ter registado em vídeo e fotografia a ave que não era vista em Portugal “no mínimo há 60 anos”, na Serra de Montesinho, no Nordeste de Trás-os-Montes.

O jornalista disse à Lusa ter redescoberto a ave “por acaso, no dia 25 de Maio, no âmbito de filmagens para um documentário sobre borboletas” realizadas pela equipa do programa da RTP “Vida Animal em Portugal e no Mundo”. “Foram vistos oito exemplares, que supomos serem quatro casais”, contou Luís Henrique Pereira.

Trata-se de uma espécie, também conhecida como charrela, endémica da região ibero-pirenaica e que tem estado, segundo adiantou, em forte declínio em várias regiões da Europa. De acordo com as informações avançadas pelo repórter, a Sociedade Portuguesa para o Estudo das Aves (SPEA) acredita que a perdiz-cinzenta “não era vista em Portugal, no mínimo, há 60 anos”.

Fonte: Boas Notícias

Voltar ao Topo